23 de Novembro 2017
Voltar

Brasil importa 80% dos insumos para produzir fertiilizantes

Brasil importa 80% dos insumos para produzir fertiilizantes Durante audiência pública realizada na Comissão de Minas e Energia da Câmara dos Deputados, em Brasília (DF), parlamentares defenderam uma ação política coordenada para reduzir a importação de insumos para a fabricação de fertilizantes, que atualmente chega a 80% da produção. Segundo a Agência Câmara Notícias, os participantes da audiência destacaram que a dependência das importações chega a 95% no caso do potássio, fato que deixa os agricultores a mercê da produção de poucos países. Presente no debate, José Carlos Polidoro, da Embrapa, disse que o Brasil tem produção suficiente para apenas uma safra. "Quem milita no tema há muito tempo sabe o que aconteceu em 2008. Que foi só ter um probleminha lá na Rússia com a jazida de potássio deles. Pisaram no tubo lá dos 4 grandes fornecedores de potássio. E o preço de todos os fertilizantes NPK praticamente dobraram da noite para o dia. Isso aconteceu num ano. Voltou ao normal? Voltou. Mas é um alerta que nós temos que ter", disse. Já o deputado Reinhold Stephanes (PSD-PR) lembrou que o país tem grande potencial de exploração, sendo que o Amazonas pode conter a terceira reserva de potássio do mundo. Segundo Vicente Lôbo, do Ministério de Minas e Energia, faltam investimentos no setor que poderiam ser atraídos tanto com incentivos fiscais quanto com a exigência de contrapartidas das empresas que adquirem áreas de exploração. Durante audiência pública realizada na Comissão de Minas e Energia da Câmara dos Deputados, em Brasília (DF), parlamentares defenderam uma ação política coordenada para reduzir a importação de insumos para a fabricação de fertilizantes, que atualmente chega a 80% da produção. Segundo a Agência Câmara Notícias, os participantes da audiência destacaram que a dependência das importações chega a 95% no caso do potássio, fato que deixa os agricultores a mercê da produção de poucos países. Presente no debate, José Carlos Polidoro, da Embrapa, disse que o Brasil tem produção suficiente para apenas uma safra. "Quem milita no tema há muito tempo sabe o que aconteceu em 2008. Que foi só ter um probleminha lá na Rússia com a jazida de potássio deles. Pisaram no tubo lá dos 4 grandes fornecedores de potássio. E o preço de todos os fertilizantes NPK praticamente dobraram da noite para o dia. Isso aconteceu num ano. Voltou ao normal? Voltou. Mas é um alerta que nós temos que ter", disse. Já o deputado Reinhold Stephanes (PSD-PR) lembrou que o país tem grande potencial de exploração, sendo que o Amazonas pode conter a terceira reserva de potássio do mundo. Segundo Vicente Lôbo, do Ministério de Minas e Energia, faltam investimentos no setor que poderiam ser atraídos tanto com incentivos fiscais quanto com a exigência de contrapartidas das empresas que adquirem áreas de exploração.

MAIS NOTÍCIAS
14 de Dezembro 2017 Vendas de adubo

O volume de fertilizantes entregue às revendas do país atingiu 3,288 milhões de toneladas em novembro, aumento de 1,6% na comparação com o mesmo período do [...]

Saiba Mais
14 de Dezembro 2017 São Martinho já fez hedge de 405 mil [...]

O Grupo São Martinho fixou o preço de venda de 405 mil toneladas de açúcar para a próxima safra (2018/19) até ontem, 315 mil toneladas a mais do que o [...]

Saiba Mais
14 de Dezembro 2017 Açúcar: preços fecham mistos no [...]

Os preços do açúcar fecharam mistos no mercado externo, ontem (13), acompanhando o cenário macroeconômico mais positivo para as commodities agrícolas em [...]

Saiba Mais
14 de Dezembro 2017 UNICA e Orplana assinam protocolo de [...]

Durante o “X Encontro Estadual do Programa Município Verde Azul”, evento promovido nesta quarta-feira (13/12), no Palácio dos Bandeirantes, os presidentes da União da [...]

Saiba Mais

NEWSLETTER COPERCANA

Fique por dentro de todas as nossas novidades.